TJ/BA: Juíza Nartir Dantas Weber assume o cargo de juíza auxiliar da Corregedoria do CNJ

A Magistrada baiana Nartir Dantas Weber já iniciou os trabalhos como Juíza Auxiliar da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ela tomou posse no cargo, na terça-feira (28), junto com o novo Corregedor do CNJ, Ministro Humberto Martins, em Brasília. A gestão é para o biênio 2018-2020.

“A expectativa antes da assunção ao cargo, era grande, mas a realidade, já nesses primeiros dias, superou em muito qualquer ideia de volume de trabalho e responsabilidade”, afirmou a Magistrada. Nartir Dantas Weber, que antes atuava na 3ª Vara da Justiça pela Paz em Casa de Salvador, falou sobre o desafio e a satisfação em fazer parte da nova equipe.

“Vidas e carreiras nas mãos do Corregedor Nacional de Justiça e seus Juízes Auxiliares. A grande preocupação de fazer o justo, com celeridade e respeito às reclamações dos cidadãos e às dificuldades enfrentadas pela magistratura nacional é o desafio da nova Corregedoria Nacional. Muito orgulhosa de compor a equipe do Ministro Humberto Martins, certa de que, sob o seu comando, trabalharemos com afinco e dedicação em prol dos que, aflitos, procuram a Justiça”, comentou.

A Magistrada participou ativamente do primeiro ano de atuação da 3ª Vara da Justiça pela Paz em Casa de Salvador. Nesse mês de agosto, quando a unidade especializada completou um ano, o balanço de ações registrou 969 baixas processuais, 2.297 despachos e 267 sentenças. A frente da 3ª Vara instalou, em março deste ano, o primeiro Centro Integrado de Atenção Multidisciplinar Especializado (CIAME) da Bahia, para ouvir o homem agressor e promover reflexões na tentativa de quebrar o ciclo da violência.

Atuação – Nartir Dantas Weber graduou-se em Direito pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Tem Pós-Graduação em Ciências Criminais e em Direito Penal e Processual Penal, e é Mestre em Segurança Pública. Na magistratura já contabiliza 28 anos de atuação. Passou pelas Comarcas de Canarana, Aurelino Leal, Teixeira de Freitas e Camaçari. Foi promovida para a capital por merecimento no ano de 2000. Em Salvador, foi titular da 2ª Vara de Tóxicos, 3ª Vara Justiça pela Paz em Casa e juíza auxiliar de 2º Grau do Tribunal.

Ela atuou como Presidente da Associação dos Magistrados da Bahia (Amab) por dois mandatos consecutivos (2010/2011 e 2012/2013) e também assumiu a Vice-Presidência de Interiorização da Associação de Magistrados do Brasil (AMB).

A Corregedoria Nacional de Justiça atua na orientação, coordenação e execução de políticas públicas voltadas à atividade correcional e ao bom desempenho da atividade judiciária dos tribunais e juízos do país.

Últimos posts

Comece a digitar e pressione Enter para buscar