CNB realiza última reunião de diretoria do ano em Belo Horizonte

Durante o encontro foram apresentados relatórios anuais e debatidos temas de interesse da atividade 

Belo Horizonte (MG) – Na última sexta-feira (30.11), a diretoria do Colégio Notarial do Brasil (CNB/CF) reuniu-se em Belo Horizonte (MG) com os presidentes e representantes das Seccionais Estaduais para realizar a última reunião do ano da entidade e debater diversos relatórios de gestão.

O encontro foi coordenado pelo presidente do Conselho Federal, Paulo Roberto Gaiger Ferreira, e contou com a presença dos Estados de Bahia, Minas Gerais, Goiás, Paraná, Rio Grande do Sul, Roraima, Rio de Janeiro, Santa Catarina e do Distrito Federal.

Durante a reunião foram apresentados os relatórios anuais da diretoria executiva, comunicação, jurídica e tecnológica. Além disso, assuntos gerais também foram abordados.

“Estamos chegando ao fim do segundo ano da gestão dessa Diretoria. No primeiro ano, tivemos muito planejamento e alguma execução. O segundo ano, este de 2018, é um período que temos entregas, muitas e boas entregas”, declarou o presidente do CNB/CF. De acordo com Gaiger, o relatório apresentado é um documento que representa o que o colegiado está construindo pelo notariado e pela sociedade brasileira.

Ainda durante a explanação, foram abordados os novos serviços do Colégio, relacionamento com entes públicos, crescimento das Seccionais, avanço tecnológico, imagem do notariado, qualificação e atendimento jurídico. Sobre esses avanços, Gaiger comentou que o tema é um dos pilares da sua gestão.

“Quando, lá em 2016, fui procurado por um grupo de presidentes para que construíssemos uma chapa para atuar no Colégio Notarial do Brasil, acho que o meu perfil foi escolhido por ser de tecnologia – por sempre estar buscando o aperfeiçoamento tecnológico”, comentou.

Ao falar da plataforma Escritura Simples, o presidente ressaltou a importância do projeto como sendo a versão para transmissão da propriedade via eletrônica. Para Gaiger, essa é uma proposta do CNB/CF que envolve a supressão dos passos para o cliente, transferindo ao tabelião todas as atividades de preparo da escritura pública, e também as de conclusão da eficácia da escritura pública, como é o caso do registro.

Gaiger falou sobre o novo site do Colégio, ressaltando que a mudança foi pensada tendo como base os sites do Colégio Notarial da França e o da Espanha, que são voltados para a população, ou seja, as “pessoas acessam o site para resolver os seus problemas”.

Para falar sobre o e-notariado, o assessor da área de tecnologia do CNB/CF, Renato Martini, explicou um pouco mais sobre a plataforma, que faz parte da ideia do notário digital. “É um ambiente que vai ocorrer em web, como é tudo hoje na nossa sociedade, e se conectará a uma série de módulos ou aplicações. E tem um módulo essencial que, ao longo do ano, terá um cardápio de aplicações conforme as demandas da sociedade”, contou Martini.

Na sequência, foram abordadas questões de relacionamento externo, uma vez que é essencial que o notariado tenha boas relações com a sociedade e com o governo. “Esse ano, começamos com a surpresa que foi o prêmio oferecido pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF). Fomos premiados pela nossa atuação na busca de controles no combate à corrupção e a lavagem de dinheiro”, declarou o presidente.

Também foram abordados outros eventos que o Colégio Notarial do Brasil participou, como palestras, congressos e inaugurações de seccionais do CNB. Para finalizar a apresentação, a assessora jurídica, Karin Regina Rick Rosa apresentou todas as manifestações da entidade em pedidos de providência, propostos no ano de 2018.

Fonte: CNB/CF

Últimos posts

Comece a digitar e pressione Enter para buscar