skip to Main Content
Área do Associado

Evento ocorreu do dia 05 ao dia 07 de junho no Hotel Quality em Salvador

O Colégio Notarial do Brasil – Seção Bahia (CNB/BA) participou, na manhã de quinta-feira (06/06), do I Congresso Nordeste de Transplantes, evento que teve início na quarta-feira (05/06) e se estendeu até o dia sete de junho no auditório do Hotel Quality, em Salvador. Durante o Congresso, a entidade apresentou a plataforma de Autorização Eletrônica de Doação de Órgãos (AEDO) e disponibilizou, durante todo o dia, um terminal com orientações sobre como realizar a declaração de vontade.

“Estamos participando do I Congresso Nordeste de Transplantes com o objetivo de divulgar a Autorização Eletrônica de Doação de Órgãos – AEDO – desenvolvida pelo Conselho Nacional de Justiça em parceria com o Ministério da Saúde. Esta plataforma é de extrema importância para facilitar a doação de órgãos e tecidos e nossa intenção é apresentá-la aos profissionais de saúde para que todas as unidades hospitalares do Estado da Bahia e dos demais Estados da Federação possam contribuir para a redução das filas de transplante”, afirmou o presidente do CNB/BA, Giovani Gianellini. “A doação de órgãos é um ato anônimo de amor que traz esperança para muitas pessoas que dependem de um transplante para continuar vivendo. Juntos, podemos fazer a diferença e salvar vidas”, completa.

Para o presidente do Congresso e Coordenador do Sistema Estadual de Transplantes do Estado da Bahia, Eraldo Salustiano de Moura, a parceria com o CNB/BA é fundamental para divulgação da ferramenta de autorização. “A participação do Colégio Notarial do Brasil – Seção Bahia neste importante congresso que reúne todos os estados do Nordeste e todas as coordenações do Brasil merece destaque. O objetivo principal dessa parceria é divulgar a AEDO. Aqui, os profissionais têm a oportunidade de se cadastrar e obter informações e orientações valiosas para levar aos seus estados. Este é momento de desmistificar o processo de doação e fazer com que as centrais comecem a disseminar essa ferramenta juntamente com os demais cartórios do Brasil. A presença do colégio notarial aqui na Bahia e neste congresso é de extrema importância para ampliar o conhecimento sobre essas ações”, afirmou o médico.

A Autorização Eletrônica de Doação de Órgãos (AEDO) foi desenvolvida pelo Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal (CNB/CF) e é regulamentada pelo Provimento no 164/2024 da Corregedoria Nacional de Justiça. Para solicitar a AEDO, basta acessar o site www.aedo.org.br e os dados ficarão registrados na Central Nacional de Doadores de Órgãos.

A enfermeira paraibana Kallyne Souto apoia a iniciativa do CNJ em parceria com os Cartórios do Brasil, ela, que já é doadora de medula óssea cadastrada no Registro Brasileiro de Doadores Voluntários – REDOME – comemora iniciativas como a AEDO. “Eu acredito profundamente na importância dessa iniciativa, pois não só auxilia os nossos familiares a terem conhecimento do nosso desejo de ajudar o próximo, como também simplifica todo o processo caso seja necessário realizar um transplante”, afirmou.

Segundo o advogado do CNB/BA, Anderson Oliveira, a AEDO é essencial para garantir segurança jurídica na execução dos serviços médicos. “A declaração do doador pode garantir uma maior confiabilidade no sistema e levar a família a aceitar a vontade a sua vontade, contribuindo para o aprimoramento do serviço e ampliando o número de vidas salvas. É fundamental que essa prática seja amplamente divulgada pelos serviços notariais, a fim de garantir que os médicos realizem os procedimentos com segurança e sem correr riscos de futuras penalizações. A efetivação da AEDO é fundamental para o avanço da saúde em nosso estado e país”, afirmou.

 

PARCERIA

A parceria entre o CNB/BA e a Coordenação do Sistema Estadual de Transplantes tem como objetivo principal promover e divulgar a Autorização Eletrônica de Doação de Órgãos para os profissionais de saúde da Região Nordeste. Lançada em 02 de abril de 2024, a plataforma tornou mais simples o processo de se tornar um doador no Brasil.

Qualquer indivíduo que queira doar seus órgãos pode formalizar essa vontade por meio de um documento oficial, elaborado digitalmente em um dos 8.344 cartórios de notas presentes em todo o país. A AEDO é um meio acessível, gratuito e seguro para que as pessoas manifestem a sua vontade de ser doadoras e, com isso, contribuam para salvar vidas.

Segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), mais de 3 mil pessoas aguardam na fila por algum tipo de transplante. A Bahia ocupa a quinta posição entre as unidades da federação com as maiores filas, de acordo com informações do Ministério da Saúde obtidas por meio da Lei de Acesso à Informação. O Estado fica atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná em relação à demanda por transplantes.

Luana Lopes – Assessoria de Imprensa do CNB/BA

Back To Top